É Tarde

6 de ago de 2012

É tarde. Aliás, sempre parece ser tarde para ele. TV ligada, luz acesa, música tocando no celular. A casa transpira energia em pleno início de madrugada. Não tem sono. Aliás, há muito tempo não tem. Só consegue dormir quando se dopa de remédios, ou quando fuma aquele baseado. Não faz diferença, tudo é droga, tudo faz mal.
Sente fome. Muita fome. Mas tem preguiça. Esse é seu grande mal. Nunca se anima o suficiente para conquistar suas vontades e realizar seus desejos. Tem preguiça. Preguiça das pessoas, preguiça do mundo, preguiça da vida. A barriga ronca tão alto que a qualquer momento os vizinhos podem chamar a polícia por descumprimento da lei do silêncio. Pega o telefone e disca para o tele-entrega. Um sanduíche com refrigerante deve resolver.
Aproveita que o programa foi para o intervalo e vai ao banheiro. Aproveita e escova os dentes. Aproveita e veste o pijama. Meio que hipnotizado, se deita na cama. Não sabe bem o que faz, apenas faz. Como uma sequencia pré-decorada, ele se aninha e fecha os olhos.
Pensa nos amores, no tempo de escola que há muito tempo se foi, e pensa na família. Em tudo que deixou de viver por medo e preguiça. Aperta os olhos bem forte e promete que amanhã fará tudo diferente, e que quando acordar irá realmente viver.
Em meio a tantas promessas e sonhos, ele dorme. Quando acordar não se lembrará de nada. Sentirá apenas aquele mesmo vazio que aperta seu peito em todas as manhãs.
E enquanto isso, uma moto buzina freneticamente em frente à casa. TV ligada, luz acesa, música tocando no celular. A casa transpira energia, mas o morador está muito longe dali, perdido em seu sono, dominado pelo cansaço, e inspirado por desejos que dormem tranquilos.


Por: Layla Silva

11 Opiniões:

SARAH CASTRO disse...

Uau, texto profundo demais e direto, gostei pior que um fato assim acontece com inúmeras pessoas, sentir um fácil e não saber como preencher ele ou se não preencher por alguns segundos com coisas alheias que apenas fazem o trabalho no momento, depois da "brisa" ou coisa do gênero a sensação volta. http://anonimadavoz.blogspot.com/

Nuti disse...

Essa energia paralisada acontece mais frequentemente do que a gente pensa né, mas temos de espantá-la. É poética, mas prejudicial!

Beijos...

Apenas Impressões Literárias disse...

Olá, Layla... Conforme prometido, aqui estamos... Solidão, preguiça e medo são comuns a nós, meros mortais. Gostei do texto. Espero que você não esteja passando o mesmo que o protagonista pq, como o colega da postagem anterior alerta, é mesmo prejudicial... Mas o texto está bem escrito e é bem bacana mesmo. Respondemos seu comentário lá em nosso blog. Quando der, volta lá no post do Alan Moore...

Rodrigo Ferreira disse...

Achei o o texto muito lindo. Parece que contou minha estoria. Texto muito profundo. essa parte "Um sanduíche com refrigerante deve resolver" para mim isso não resolve precisaria de uma pizza rs. Soun seu fã numero um dos seus textos.

http://rodrigobandasoficial.blogspot.com.br/

Junior Mathias disse...

Simplesmente UAU... fikei sem palavras... seriOo!!

http://mostraoseu.blogspot.com.br

Rodrigo Rocha disse...

Olá Layla passei para conhecer seu blog ele é muito maneiro com excelente conteúdo gostaria de parabenizar pelo seu trabalho e desejar muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e de seus familiares
Um grande abraço e tudo de bom

Jéssica disse...

Que texto reflexivo e assustador, é triste ser escravo da preguiça, dos sonhos passados e do comodismo. Além disso, a parte assustadora desse texto é pensar sobre o motivo da existência a qual a pessoa está nesse mundo com esse tipo de rotina... e só de pensar em perder o precioso tempo com esse tipo de vivência é assustador, já que o tempo não cansa e nem dorme.
gostei do Blog

até

http://www.ideias-esdruxulas.blogspot.com.br/

Fernando disse...

Oi Layla
Infelizmente tem muitas pessoas assim por aí, que não vivem, não evoluem, ficam em casa no computador sem vida social. São pessoas que precisam muito de ajuda e também se ajudarem né porque para crescer precisamos sair da nossa zona de conforto e fazer isso, as vezes é dolorito demais, mas precisamos fazer né, senão podemos ficar quem nem ele.

gde abrsss
fernando
http://fernufilho.blogspot.com.br/

Enrique Coimbra disse...

"Pensa nos amores, no tempo de escola que há muito tempo se foi, e pensa na família. Em tudo que deixou de viver por medo e preguiça."

E preguiça. Os dois últimos parágrafos são tão melancólicos pra mim... me acertaram sem piedade. Sou esse tipo de pessoa, sabe? Sou exatamente assim. Esses dias mesmo eu estava pensando em retomar minha coragem de olhar pra frente, parar de olhar e desejar o que passou. Já foi. Mas aí vem a preguiça de levantar da cadeira do PC, de sair de casa, de me expor. Então eu volto e navego no we♥it. Mantenho meus contatos com amigos que vêm aqui pra minha casa. E minha galáxia se fecha num quadrado de tijolos.

Priscila Fantini disse...

Que texto lindooooo, amei!
beijos

@qFernando disse...

O que maissinto falta é poder dizer as mesmas coisas que o personagem do texto, pois, mais que pareça desanimante e com ar de melancolia, sinto falta disso, o mundo dos adultos é chatíssimo quanto a isso, poxa, pq o dia nao pode começar as 11 da manhã????!!!!! Quero férias, quero vida!! ahsusuahsushua
Excelente texto...

___________________________________________
http://anteontemmusical.blogspot.com.br/

Postar um comentário

- Opiniões, críticas, sugestões e tudo mais são sempre bem-vindos, mas seja educado(a) comigo para que eu não precise ser indelicada com você.
- Fique a vontade para deixar o link de seu blog para que eu retribua a visita, desde que faça um comentário decente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Tecnologia do Blogger.

Siga por E-mail

AGREGADORES